INTERPRETE DE LIBRAS: Como Ser Um Intérprete/Tradudor?

Sejam surdos ou ouvintes, os intérpretes de Libras são responsáveis por facilitar a comunicação de maneira neutra, garantindo o acesso à informação para a pessoa surda que se comunica por meio da Língua Brasileira de Sinais.

É muito comum vermos a participação desses profissionais em propagandas eleitorais e comunicados federais, mas eles estão mais presentes na vida dos surdos do que se imagina. A atuação dos intérpretes de Libras é necessária também em escolas, eventos culturais e até mesmo em consultas médicas.

No entanto, para que a pessoa realize esse tipo de trabalho é necessário que ela possua qualificação adequada e especialização na área em que atua (corporativa, jurídica, cultural, entre outras).

Além disso, pelo fato da Libras ser uma língua viva, ela constantemente passa por melhorias e formação de novos vocábulos, e é aí que o profissional que está sempre atualizado se destaca.

O tradutor intérprete de libras (TILS) promove essa interação entre o surdo e o ouvinte de forma eficaz para o processo da comunicação. Esse profissional carrega em sua bagagem curricular conhecimentos teóricos e práticos que proporcionarão a facilitação de um intercambio no processo da aprendizagem.

Diferença para de um tradutor e um interprete de Libras

É comum encontrarmos a expressão ‘intérprete-tradutor’ usada como substantivo composto, o que nos leva a crer que ambas as palavras têm um único significado. No entanto, existem características diferentes em cada um.

Apesar de serem atividades envolvidas em um mesmo processo, cada uma possui características próprias. Além de sua origem comum, tanto profissionais, tradutores e intérpretes, precisam estar suficientemente informados sobre diferentes assuntos e serem capazes de expressar ideias relacionadas a eles apesar de não serem especialistas.

No contexto das conferências esses aspectos são bastante evidentes porque os intérpretes trabalham em eventos relacionados aos mais variados assuntos.

O contexto das conferências analisadas neste estudo é o das conferências acadêmicas, onde os intérpretes costumam traduzir conteúdos científicos e de pesquisa para a língua de sinais.

Geralmente são pesquisadores/professores bastante experientes em suas áreas, falando para um público interessado em ampliar seus conhecimentos sobre algum assunto específico.

Esse contexto é peculiar, pois é um momento em que as ideias são explicadas ali mesmo, o que muitas vezes leva os falantes a agilizar suas explicações, a usar vocabulário bastante específico de sua área de estudo e geralmente a lidar com temas bastante complexos. A demanda pelo trabalho dos intérprete vem crescendo nesse contexto, pois tem havido um aumento no acesso das comunidades surdas ao ambiente acadêmico.

Quanto ganha um intérprete de Libras

Segundo o site  salario.com.br, o valor médio de um intérprete de Libras em média R$ 2.260,94, considerando uma jornada de trabalho de 33 horas semanais.

A faixa salarial para Intérpretes de Libras que vai de R$ 1.961,30 a R$ 4.440,45.

Que cursos fazer para ser um intérprete de Libras

A lei 12,319/2010, prevê que para atuar como tradutor/intérprete de libras precisa ter ao menos o ensino médio completo e ter a formação em cursos profissionalizantes reconhecidos, além da formação continuada  através das Secretarias de Educação ou instituições de nível superior, que também oferecem cursos de extensão universitária.

Assim,  para ser um tradutor/intérprete de libras existem 3 opções:
– fazer um curso de graduação em letras libras ou pós-graduação. – Ter o  PROLIBRAS.  Atualmente essa certificação foi extinta. – Fazer um exame de avaliação de proficiência, como o CAS – centro de apoio ao surdo. 

Essa 3° opção está disponível apenas em alguns estados brasileiros.

Mesmo que você opte pela 1° opção, você precisa fazer um curso livre que lhe dê capacidade de ser fluente em libras. Isso porque a graduação em letras libras é 80% teórica, os estudantes saem da graduação sabendo somente o básico e sem condições nenhuma de serem interpretes.

Lamentavelmente, as escolas do governo priorizam quem tem certificado de letras libras e não o que realmente deveriam priorizar – A fluencia. Isso significa que pessoas sem a mínima capacidade de serem intérpretes estão assumindo a vaga de tradutor/intérprete em escolas do estado, apenas porque possuem um certificado de graduação ou pós.

O grande problema disso, é que os surdos que necessitam da interpretação são prejudicados com uma interpretação ruim, onde muitas vezes não entendem o que está sendo passado.

Por isso, mesmo que você opte por fazer uma graduação para ter prioridade no processo seletivo, faça um curso livre de fluencia para adquirir vocabulário e as competencias necessárias ser um tradutor/íntérprete de Libras.

O curso de Libras do professor Rodrigo, o Libras Intensive é do básico a fluência com técnicas de tradução e interpretação. Ele é uma excelente opção para quem deseja trabalhar na área.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *